quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Está quase, quase...!


quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Morreu um Forcado...

...mais um.

Infelizmente tinha razão. O Pedro não foi o último. Há muitas coisas em que pensar, a estudar, a refletir, a corrigir, a resolver.

Também não o conhecia, mas a revolta é a mesma. É é injusto. É sempre.

Os meus sentimentos à família, amigos e ao (seu) GFA de Alcochete. 


Olé, Fernando Quintella!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Morreu um Forcado...

...na sua despedida. Ironia do destino. Seja lá isso o que for. Uma vida passada nos cornos do toiro e tinha que ser na última pega.

Não foi o primeiro e, infelizmente, não será o último. Esta arte tem tanto de bela como de perigosa.

Não o conhecia, mas não deixo de sentir revolta. É injusto. É sempre injusto. Ele não o merecia.

Os meus sentimentos à família, amigos e ao (seu) GFA de Cuba. 


Olé, Pedro Primo!

terça-feira, 29 de agosto de 2017

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

2 anos depois... E a morte do Sr. Albino Bruno

É verdade, já passaram 2 anos. Na verdade, passaram bem mais desde que deixei de escrever aqui 'a sério'.

O que me fez voltar? Bem, uma série de coisas, mas o que fez realmente querer escrever este post em específico foi a notícia da morte do Sr. Albino Bruno.

"Eh cachopa!" - dizia ele, sempre que me via na praça do Montijo. Frase tão ou mais ribatejana que eu...

O "senhor-que-toma-conta-da-praça", como lhe chamávamos, estava sempre lá todas as corridas, preocupado se estava tudo bem.

Quando eu não ia, não houve vez que não perguntasse ao meu pai por mim. É engraçado, só nos conhecíamos dali. Daquelas 12h em dia de festa. Mas talvez por ser cachopa e as cachopas ali serem poucas (mas cada vez mais!), lhe tenha chamado à atenção.

Teve honras de homenagem em vida. Eu estive lá. Pareceu-me claramente mais debilitado. Estava na bancada, não na trincheira como era seu hábito.

Este sábado recebi a notícia via SMS: "Morreu ... albino bruno..."

"A sério?!" - exclamei. O "senhor-que-toma-conta-da-praça" já tinha alguma idade, mas não estava, de todo, à espera de receber esta notícia...

Até sempre Sr. Albino Bruno, aqui a cachopa vai lembrar-se sempre de si.